Category

Blockchain

Category

Blockchain: você sabe o que é isso? Entenda mais aqui

Nos últimos anos, o Bitcoin passou a dominar o noticiário de tecnologia como uma das tecnologias mais inovadoras do momento. A criptomoeda ganhou adeptos em todo o planeta, atingiu níveis de valorização históricos e, ao mesmo tempo, trouxe novas tecnologias para o ambiente corporativo, como é o caso do Blockchain.

O Blockchain permite que negócios armazenem dados com segurança e alta confiabilidade. Se você quer saber como ele surgiu e qual o seu potencial para o ambiente empresarial, veja o nosso post de hoje! Vamos lá!

O que é o Bitcoin?

O Bitcoin é uma criptomoeda criada em 2008 por uma pessoa identificada como Satoshi Nakamoto. Ela pode ser utilizada para pagamentos em meios digitais e tem como principal característica a sua descentralização. Consequentemente, não há um banco ou instituição central que controle as taxas de câmbio, as transações ou o lastro do Bitcoin.

Para evitar fraudes, a criptomoeda conta com o Blockchain. Também conhecido como cadeia de blocos, esse é um mecanismo de segurança que evita fraudes e garante que não existam pagamentos duplicados na rede do Bitcoin.

Como o Blockchain surgiu a partir do Bitcoin?

O Blockchain surgiu como o principal mecanismo para garantir que o Bitcoin fosse viável comercialmente. A sua estrutura permite que pagamentos sejam feitos com segurança, uma vez que qualquer tipo de fraude torna-se facilmente identificável. E, diante da sua característica descentralizada, o Blockchain também dá a garantia de anonimato para cada transação, aumentando a privacidade do usuário.

Os dados do Blockchain são distribuídos entre todos os usuários. Ele funciona como um “livro razão” do Bitcoin, armazenando as informações de todas as transações que foram feitas na rede da criptomoeda. Ao fazer um pagamento, um novo bloco é criado, com um link para o bloco anterior e um registro com a data e o horário da transação.

Para evitar fraudes, o Blockchain apresenta um sofisticado mecanismo de criptografia, que evita que terceiros modifiquem o bloco que foi criado por dois usuários. E, se ocorrer uma tentativa de fraude, ela é facilmente identificável, uma vez que a “chave de acesso” ao bloco é disponível apenas para quem envia e recebe Bitcoins.

O Blockchain abrange quatro conceitos-base, que garantem a sua confiabilidade e segurança. Eles são os seguintes:

  • a distribuição do ledger: as informações registradas no Blockchain são distribuídas em toda a rede e podem ser visualizadas por todos que a ela têm acesso;
  • a privacidade: todas as transações são verificáveis, mas partes sensíveis de cada bloco podem ser ocultadas sem prejudicar a capacidade de o usuário validar as informações que ele contém;
  • a criação de contratos inteligentes: nenhum bloco, documento ou parte de um bloco pode ser modificado após ele ser criado. Cada novo contrato é firmado e autorizado conforme os termos estabelecidos no processo de criação do Blockchain;
  • o consenso entre os usuários: todas as transações e dados registrados no Blockchain podem ser verificados pelos usuários. Isso impede fraudes e torna toda a rede mais segura.

Ao utilizar o Blockchain, o Bitcoin conseguiu evitar fraudes mesmo sem dispor de um órgão gestor de todas as transações. A cadeia de blocos serve como um mecanismo para registrar transações e estabelecer contratos e uma ID única para quem faz o envio e o recebimento de valores. Isso foi crucial para que a criptomoeda se popularizasse, mantendo a sua maior característica: a descentralização.

Em outras palavras, o Blockchain foi estruturado para funcionar como um banco de dados de transações comerciais à prova de fraudes. Ele é baseado em quatro fundamentos (o registro compartilhado de dados, o consenso entre os usuários para a verificação da integridade das informações, um contrato comum para o funcionamento das transações e a criptografia), que permitem a essa tecnologia ser descentralizada, verificável e imune a modificações ilegais.

Qual o potencial do Blockchain para o meio corporativo?

A maneira como o Blockchain foi estruturado permite que essa tecnologia seja levada a muitos outros setores. Seja no mercado financeiro, seja em algumas áreas, como a de serviços de saúde, essa tecnologia consegue tornar a gestão de dados mais eficaz, inteligente e precisa.

Pense no Blockchain como um banco de dados. Cada bloco pode ser utilizado para armazenar informações de uma empresa, que seriam facilmente verificáveis em caso de suspeita de fraudes e que são distribuídas entre diversos usuários automaticamente.

Um termostato inteligente, por exemplo, pode comunicar o consumo de energia à concessionária rapidamente. Quando uma quantidade pré-definida de energia for consumida, um bloco com os dados é enviado para a empresa com as informações do cliente, a hora em que o determinado nível de consumo foi atingido e outras informações úteis. Dessa forma, o processo de cobrança é automatizado, reduzindo custos e melhorando a sua precisão.

Já uma instituição de saúde pode utilizar o Blockchain para otimizar o armazenamento de dados de pacientes. Com a chave de segurança de um médico e de um paciente, por exemplo, um aparelho que mede o nível de glicose de uma pessoa pode criar registros conforme a ocorrência de variações de glicose na corrente sanguínea do usuário, que serão acessíveis para ambos pela Internet.

Além disso, alertas podem ser emitidos automaticamente para uma companhia responsável pela entrega da insulina, evitando qualquer tipo de risco em potencial.

Os usos vão além. Uma empresa que trabalha com informações protegidas por direitos autorais pode utilizar o Blockchain para controlar o número de vezes que um usuário consegue acessar um arquivo, copiá-lo ou compartilhá-lo com outras pessoas. Já sistemas de votação ganham maior controle em potencial contra fraudes. Além disso, redes de distribuição de dados tornam-se mais fáceis de serem estruturadas com o apoio dessa tecnologia inovadora.

A chave do Blockchain está na palavra confiança. Toda a sua estrutura é feita para garantir que os usuários consigam armazenar dados com transparência, integridade e confiabilidade. Assim, os seus usos podem ir muito além do Bitcoin, permitindo que companhias de vários setores consigam manter registros armazenados em meios digitais sem erros ou problemas de integridade, gerando mais vendas.

Gostou do nosso post e quer ficar por dentro de outras novidades do blog? Assine já a nossa newsletter!